Facebook_Pq_escolhemos_homens_errados_Destaque

 

 

 

 

 

 

 

 

Porque estamos em busca da pessoa certa. Sem que nos coloquemos em disponibilidade para conhecermos e sermos conhecidos, não é possível saber se àquela pessoa nos atenderá as demandas internas que nos caracterizam. Pode ser que tenhamos expectativas muito diversas dos homens ou mulheres com quem nos relacionamos. Isso não quer dizer que não possamos encontrar a pessoa que esteja procurando alguém que tenha anseios parecidos com os nossos.

Toda mulher e todo homem busca encontrar o amor da sua vida e por ele procura todo o tempo em que não tem atendida esta expectativa. É natural pensar que iremos encontrar alguém que nos compreenda, compartilhe, nos aceite e seja cuidadoso conosco. O amor nos inspira a sermos melhores e muito mais participativos e alegres. Pensar na pessoa amada, nos torna mais livres, ansiosos, leves, animados, felizes, vivos! É uma sensação maravilhosa estar apaixonado (a), estar amando e sendo amado. Ficamos mais fortes, mais poderosos, mais dispostos, querendo inovar, vestir algo novo, seduzir a pessoa amada o tempo todo. É uma sensação de bem-estar intraduzível.

A pessoa amada, é cantada em verso e prosa desde os tempos mais remotos. A lenda do amor eterno e companheiro, nos anima a alma por toda vida. Mas que sentimento é este que parece pertencer a todos os seres vivos? Os animais, amam. As aves amam, formam famílias, cuidam dos filhotes, ensinam a viver, a caçar, a se proteger. Nós humanos, também temos este arquétipo, este dom divino, mágico, de poder sentir o amor.  É inerente ao ser. Faz parte da nossa essência. Quando crianças somos completamente dependentes dos nossos pais ou de quem cuida de nós. As mães ao engravidarem, produzem um hormônio chamado oxitocina que as deixam mais apegadas e amorosas ao filho (a). A natureza humana é maravilhosa. Produz tudo que precisamos para vivermos em paz e fazendo novas conexões com outras pessoas. Até aqui estamos falando do sentimento que nos une em busca do ser amado e de uma vida feliz.

Se temos todas estas possibilidades, então, por que não encontramos com facilidade o amor da nossa vida? Esta é uma pergunta recorrente em todas as pessoas do planeta e tem múltiplas e infindáveis respostas, porém, vale especular sobre o tema.

Penso que uma coisa é termos dentro de nós esta busca incessante de amarmos e sermos amados, e outra coisa, é como vamos estabelecer os vínculos a partir do encontro com a pessoa amada. Os relacionamentos nos oferecem grandes oportunidades de crescimento e abnegação, mas crescer é doido. A troca de experiências e culturas, podem gerar conflitos e frustrações, mas com o tempo, a vida do casal pode ficar muito enriquecida.

Quando somos muito jovens, queremos que tudo nos aconteça sem esforço. Para a juventude,  o amor não suporta ajustes e aprendizados. Queremos ser compreendidos incondicionalmente. Este é um sentimento que nos une aos nossos pais e não aos nossos companheiros de vida ou namorados (a).

Relacionamento, exige-nos dedicação, compartilhamento, renuncia, amizade, respeito e fundamentalmente, cumplicidade e atenção. Quando insistimos em um relacionamento que não acrescenta nada e nos frustra consideravelmente, estamos teimando em projetar no outro, sonhos que são nossos e que não cabem para os pressupostos daquele que estamos querendo conquistar, e aí dizemos que temos “dedo podre” e só encontramos homens errados. Pense sobre isso, vá mais adiante, confiando na sua capacidade de construir um relacionamento maduro e prazeroso. Você certamente será mais bem-sucedido nesta busca. Cuidado com as afirmações negativas, do tipo, não existe ninguém legal, ou homem é assim mesmo, porque pode ser que neste caso a sua visão em relação a figura masculina esteja contaminada por experiências vividas em sua família e que necessariamente não será a sua experiência. O que acabo de dizer, também vale para os homens que na atual conjuntura, ficam inseguros com comportamento feminino que vem mudando consideravelmente.

Alguns, e porque não dizer, em grande maioria, buscam mulheres mais submissas, que lhe preparem o jantar, cuidem das suas roupas e lhes esperem cheirosas e humoradas, depois de uma longa jornada de trabalho. Que suas mulheres cuidem dos filhos, mas que cuidem deles também, porque do contrário, frustram-se e buscam outros relacionamentos onde não precisem crescer. Não estou dizendo com isso que as coisas também não estejam mudando aos poucos com eles. Muitos já entendem que o comportamento da mulher mudou e que os relacionamentos estão sendo impactados pelos novos anseios de independência feminina. Naturalmente, encontrarão seus espaços de crescimento dentro dos relacionamentos nestes novos tempos, mas ainda carregando no imaginário, a educação familiar que receberam. Notem que as mães, criam os filhos homens com muita regalia em relação as filhas mulheres. E esta educação, gera desejos inconscientes de um dia encontrarem mulheres que se assemelhem com suas mães. Este é um assunto para outro artigo que fará parte desta série, mas vamos  combinar que a vida pode ser muito interessante também sozinha. Fazer amigos, manter os antigos, viver com leveza e liberdade sempre vale muito à pena.

Se você está em busca da sua outra metade da laranja, seja feliz e vá ao encontro dos seus ideias. O amor é lindo! Às vezes brinco que ele também é brega, mas estar apaixonado, torna a vida mais colorida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *